Tulhas do Café | 1° Bib | Parque da Cidade
Tulhas do Café | 1° Bib | Parque da Cidade

Convivência entre o antigo e o Moderno.

Tulhas do Café, 1º BIB, Parque da cidade...

depende do momento histórico que você quiser viver!

  
Café - Os pavilhões do atual Parque da Cidade, foram durante o ciclo áureo do café, um importante centro regulador do produto. Era à partir destes galpões que o Instituto do Café tentava controlar a oferta ao mercado, chegando a queimar toneladas de café durante a grande crise de 29, quando a oferta de sacas brasileiras no mercado mundial era tão grande que chegamos a produzir sozinhos 21 milhões de sacas para um consumo global de 22 milhões, o descontrole foi tamanho que levou o mercado ao colapso, o que culminou na famosa quebra da bolsa de Nova York em 1929. 




Opressão - Em 1950, durante o governo Dutra, foi criado em Barra Mansa o 1º BIB - Batalhão de Infantaria Blindada do Exército- com a missão de guardar a CSN -Companhia Siderúrgica Nacional- instalada na cidade em 1941, durante a II Guerra Mundial e vista como sensivelmente estratégica para o desenvolvimento e industrialização do país. 
Devido as constantes instabilidades políticas da época, a unidade militar foi aos poucos assumindo o papel de órgão repressor, tornando-se o principal centro de controle civil da região, tendo início em 1956, com a forte repressão militar às greves de metalúrgicos em Barra Mansa e na recém criada volta Redonda. Durante a ditadura militar, as torturas e prisões ilegais de opositores políticos ao regime foram institucionalizadas no local, principalmente à partir de de 1969, quando passou a operar de forma integrada ao sistema DOI-CODI.
Em 1973, após a tortura e morte de quatro soldados do próprio exército, a justiça militar ordenou o fechamento do 1º BIB, que fora substituído pelo 22º BIMtz -Batalhão de Infantaria Motorizada. Atualmente ainda funciona em um pequeno prédio do parque uma unidade militar, o TG 01016 -Tiro de Guerra de Barra Mansa- e em outro o FUSEX - Fundo de Saúde do Exército-, todas as outras instalações estão sob administração da prefeitura da cidade.



Centro de Memórias
 - No ano de 2016, foi assinado um TAC -Termo de ajuste de conduta- entre o Ministério Público Federal e a Prefeitura de Barra Mansa, com o objetivo de instalar no local o Centro de Memórias da ditadura militar brasileira, o espaço será usado para preservar os documentos históricos do período, assim como as próprias instalações onde ocorreram as torturas e abusos.


Lazer - Nos dias atuais, o local abriga instalações culturais, serviços públicos e um amplo parque para grandes eventos. O Parque da Cidade é a sede da OSBM - Orquestra Sinfônica de Barra Mansa- e da Banda Marcial Marcial de Barra Mansa, dois grupos reconhecidos internacionalmente e entre os melhores do Brasil, ambos oriundos do projeto Música nas Escolas, eleito o melhor projeto de iniciação musical do país. 
Além das organizações musicais, o parque também é a casa do coletivo teatral Sala Preta, um grupo de artistas locais que realiza diversas intervenções artísticas na cidade, na região e até em outros países.
O Parque da cidade é frequentemente o local escolhido para eventos regionais e nacionais, como feiras, exposições, shows, encontros e competições. O Complexo conta com área de shows, sala de espetáculos, estacionamentos, infra-estrutura completa para grandes eventos e sua marca registrada, uma imensa cúpula de arquitetura moderna e aparência futurista, construída em estrutura metálica, que serve como abrigo à diversos tipos de eventos.

 
 

topo